Avião

Viajando a passeio, estudos ou a negócios, encarar longas viagens de avião não é nada fácil. Veja Algumas Dicas importantes:

Leve sempre um casaco ou um agasalho - o ar condicionado no avião é sempre bem gelado e durante viagens noturnas sentimos mais frio.

Procure não carregar peso - Bagagem de mão só é permitido 1 volume por passageiro e não excedendo 5 quilos. Lembre-se que esta bagagem será carregado por você mesmo, e pode não caber no compartimento interno do avião.

Mantenha-se hidratado - durante viagens longas, a umidade dentro da aeronave gira em torno de 17%, isto é, o ar fica extremamente seco, prejudicando a pele e a mucosa do nariz. Beba muito líquido, use creme hidratante na pele e convêm usar algumas gotas de soro fisiológico no nariz.

Evite bebidas gasosas e excesso de bebidas alcoólicas - Os gases se expandem no abdômen e podem causar desconforto. A altitude e o ar rarefeito, potencializam o efeito do álcool, podendo causar desmaios durante o vôo (algumas companhias aéreas americanas, passaram a cobrar pelo por bebidas alcoólicas na tentativa de coibir casos de embriagues e distúrbios de comportamento

Evite comer demais e alimentos pesados - Certos alimentos (ex: carne vermelha, frituras e feijão) estimulam a fermentação e podem causar gases que provocam desconforto.

Previna-se contra o inchaço dos pés - Devido à baixa pressão na aeronave e inatividade do passageiro, é comum o inchaço dos pés. Procure se movimentar, fazendo alguns movimentos, mexendo os pés e flexionando os joelhos, levanta-se a cada duas horas e caminhe pelos corredores. Calce sempre sapatos confortáveis.

Evite o uso de roupas apertadas – Assim como os pés, todo o corpo se “dilata” durante vôos mais longos. Evite jeans muito justos, paletós apertados, sapatos de salto alto.

Previna-se contra enjôos e tonturas - É comum algumas pessoas sentirem tonturas e enjôos durante o vôos. Seguindo orientação médica, tome algum medicamento 30 minutos antes do embarque que iniba esta sensação ou procure não viajar de estômago vazio, não comer muito durante o vôo, sentar-se nos assentos próximos às asas e longe das janelas. Em caso de turbulência, respire fundo e concentre a atenção num ponto fixo à sua frente.

Escolha o melhor assento – As poltronas dos aviões reclinam apenas até 35 graus e estão posicionadas a 80cm distante do assento da frente. Para tentar conseguir melhor posição, procure marcar seu assento no ato da reserva ou fazer o check-in com 3hs de antecedência escolhendo assentos no corredor, nas primeiras fileiras ou junto às saídas de emergência, locais que possibilitarão esticar as pernas e movimentar-se mais.

Fonte: http://www.globalexchange.com.br/home_interna_detalhe.asp?cod=273


Em uma situação de Emergência

Em caso de emergência, torna-se mais perigoso abandonar a aeronave quando há fogo, fumaça e vapores tóxicos. Um relatório de acidente mencionou: “Quando o avião pousou, quase não havia visibilidade na cabine a partir de 30 centímetros do chão [por causa da fumaça]. Os sobreviventes disseram que mal tinham forças para chegar até as saídas de emergência.” Sobreviver era uma questão de sair rapidamente do avião.

A tripulação está treinada para esvaziar uma aeronave com segurança e rapidez. Portanto, obedeça às suas instruções imediatamente. Mas nem sempre as coisas saem como planejadas. Problemas no sistema de comunicação com os passageiros, membros da tripulação feridos, confusão e os efeitos de barulho, calor e fumaça podem fazer com que os melhores esforços da tripulação sejam ineficazes. Além disso, você pode estar viajando em uma companhia aérea em que os comissários não falam seu idioma, e isso também pode impedir uma boa comunicação entre você e a tripulação.Você precisa ter um plano de ação bem claro e estar disposto a ser o responsável pela própria sobrevivência. Seu plano deverá incluir todos os que estiverem viajando com você, especialmente crianças e idosos. Pense em como poderão permanecer juntos de modo a serem capazes de ajudar um ao outro a sair do avião. A revista Flying Safety recomenda: “Se houver muita fumaça quando estiver abandonando o avião, agarrem-se uns aos outros. Fazer com que segurem o seu cinto possibilita guiá-los até a saída.” Informe ao(s) companheiro(s) de viagem qual será o seu plano de ação no caso de uma emergência.Todo meio de transporte acarreta riscos, mas os modernos aviões comerciais são em geral mais seguros e nos permitem chegar aos nossos destinos revigorados e prontos para trabalhar ou nos descontrair. Fique preparado, mas não ansioso. Relaxe e aproveite o vôo.


Bagagens e transporte aéreo

As malas, sacolas, pacotes ou bolsas de mão devem ser identificadas, dentro e fora, com etiquetas que contenham seu nome, endereço completo e telefone. Eventuais excessos de bagagem podem ser cobrados, portanto é aconselhável verificar com antecedência o limite de peso ou volume determinado pela companhia (deve constar no contrato de prestação de serviço). Algumas bagagens, obrigatoriamente, devem ser despachadas como carga, informe-se junto a companhia aérea inclusive o valor da taxa. Após o check-in, ou seja, recepção para embarque, a empresa aérea torna-se responsável pela sua bagagem e deve indenizá-lo em caso de extravio ou danos.

Para garantir sua segurança, faça uma declaração (taxa cobrada a parte), dos itens contidos na bagagem, discriminando os valores, guarde uma via. Nas viagens internacionais, por medida de segurança, os passageiros estão proibidos de levar bagagem de mão e, seus pertences pessoais são embarcados em sacolas plásticas transparentes. Desta forma, é aconselhável verificar os procedimentos junto a companhia aérea antes de se dirigir ao aeroporto. Caso a bagagem seja extraviada, deve ser registrada imediatamente a ocorrência no balcão da companhia aérea ou nas seções de Aviação Civil da ANAC instaladas em cada aeroporto. A empresa é obrigada a enviar a bagagem em questão no local indicado pelo dono. Guarde bem o comprovante de embarque das bagagens, pois ele é a prova de que as mesmas foram entregues no balcão da companhia.


Cuidados Especiais

Passageiros especiais, como idosos, pessoas com problemas de saúde, portadores de deficiência física, gestantes e passageiros com crianças pequenas devem ser os primeiros a embarcar no avião.

Grávidas: As empresas aéreas exigem atestado médico de mulheres que estejam viajando até quatro semanas antes da data prevista para o parto ou que tenham complicações na gestação. O atestado deve ser emitido durante a semana que antecede o embarque. Mesmo com autorização médica, as grávidas não devem viajar sete dias antes ou sete dias depois do parto. Também não é indicado que recém-nascidos embarquem na primeira semana de vida.

Crianças e Adolescentes: Crianças com menos de 2 anos pagam apenas 10% da tarifa normal, mas devem viajar no colo do acompanhante. Passageiros com idade entre 2 e 12 anos incompletos pagam entre 50% e 75% do valor da passagem de adulto, com direito a assento. Em vôos nacionais, menores de 12 anos precisam de autorização judicial quando não estiverem acompanhados pelos pais ou responsáveis. A autorização não é exigida se a criança estiver junto de maiores de 21 anos com autorização dos responsáveis ou que sejam parentes próximos - irmãos, tios, avós e bisavós. Em geral, adolescentes entre 12 e 18 anos com carteira de identidade original podem viajar desacompanhados, mas a regra pode variar de acordo com o Juizado de Menores de cada área. Em viagens internacionais, menores de 18 anos desacompanhados só podem viajar com autorização. Caso o menor esteja com apenas um dos pais, deve ter a autorização do outro. Crianças com menos de 12 anos ficam aos cuidados de funcionários da empresa aérea, tanto a bordo como em terra.

Deficientes Físicos: Os portadores de deficiência física têm direito a assistência das companhias aéreas, aeroportos e empresas que prestam serviços auxiliares. Eles devem avisar com antecedência quais são suas necessidades e, obrigatoriamente, se precisam de algum cuidado ou atendimento especial. O embarque de portadores de deficiência é feito sempre 20 minutos antes dos demais passageiros. Se necessário, eles podem usar suas próprias cadeiras de rodas para ir até o avião. Os aparelhos utilizados por deficientes físicos são considerados bagagem prioritária e podem ser levados dentro da cabine de passageiros gratuitamente. O portador de deficiência geralmente pode decidir se precisa ou não de acompanhante, cuja presença só é exigida pela empresa quando o passageiro não for auto-suficiente. Neste caso, o acompanhante paga 20% do valor da tarifa.

Deficientes Visuais: Deficientes visuais ou auditivos podem levar seus cães auxiliares, sem pagar nenhuma taxa extra, desde que o animal tenha um atestado de sanidade. O cão viaja na cabine de passageiros, no chão da aeronave, preso a uma coleira e com protetor de focinho.

Passageiros com Problemas de Saúde: Pessoas que precisam de atenção especial durante o vôo ou que devam viajar de maca, só podem embarcar se estiverem acompanhados por um médico ou enfermeiro. A companhia aérea deve ser avisada com antecedência sobre a necessidade de macas, ambulâncias, cadeiras de rodas e atendimentos especiais. Em casos de problemas de saúde que possam ser agravados durante o vôo ou de doenças contagiosas, o viajante tem de passar pelo setor médico da companhia, que determinará a viabilidade da viagem.

Sou Turista | Página inicial |Passagens aéreas | Reservas de hotéis | Reservas de cruzeiros | Pacotes turísticos | Aluguéis | Previsão do tempo | Passaporte | Fazendo as malas | Condições de estradas | Mapas de viagem | Home exchange | Intercâmbio | Conversor de moedas | Cruzeiros | Ecoturismo | Avião | Ônibus | Contato | Destinos: África | África do Sul | Angola | Burundi | Cabo Verde | Chade | Congo | Egito | Ilhas Comores | Ilhas Maurício | Madagascar | Marrocos | Moçambique | Nigéria | Quênia | São Tomé | América do Norte | América Central | Caribe | América do Sul | Ásia | Europa | Oceania | Austrália | Ilhas Salomão | Nova Zelândia | Polinésia Francesa | Ilhas Fiji | Sou Turista | Viagens | Turismo | Férias | Destinos | Dicas | Ofertas | Promoções |